Índice Índice Filtro de Data Texto integral
Exibir norma até uma data específica
Enviar Por Email Imprimir PDF
LEI ORDINÁRIA Nº 2214, DE 1 DE JULHO DE 1987
Oficializa o hino à Pouso Alegre e a respectiva melodia.
A Câmara Municipal de Pouso Alegre aprova e o Chefe do Executivo sanciona e promulga a seguinte lei:
Art. 1º Fica constituído o Hino à Pouso Alegre, de autorida do poeta do Maestro Gabriel Migliori, divulgados nas comemorações do centenário desta cidade (1948) conforme cópias autenticadas que fezem parte integrante desta Lei.
Art. 2º É obrigatório o ensino do hino e música mencionados no art. 1º nas escolas municipais desta cidade.
Art. 3º Revogadas as disposições em contrário, entrará esta Lei em vigor na data de sua publicação.
Prefeitura Municipal de Pouso Alegre, 1° de julho de 1987
Bel. Simão Pedro Toledo
Prefeito Municipal
Bel. Antobio de Pádua Moretti
Chefe de Gabinete
O original foi encaminhado ao Dr. Miltom Resis - 18/8/87.


Letra: Milton Reis
Música: Maestro Gabriel Migllori
Oficializado pela Lei nº 2.214/87
I
Pouso Alegre centenária,
A cidade legendária,
Mãe de um povo varonil!/
Sua história é mais brilhante
Que o mais rútilo diamento
Das minas do meu Brasil!
II
Pouso Alegre das igrejas
Das libélulas andejas,
Dos veréis, do colibri!
De um florido e eterno prado,
Da vendinha, do terrado,
Do Rio Sapucai!
III
Pouso Alegre das Campinas,
Dos jardins, das casuarinas,
Das praças, da Santa Cruz!
O belo rincão mineiro,
Que tem como padroeiro
O Senhor São Bom Jesus!
IV
Pouso Alegre do passado,
De Antônio José Machado
Destas terras doador!
De Zé Bento, de Josino,
De Eduardo, Bernardino,
E outros ultos de valor!
V
Pouso Alegre do passado, 
De Antônio José Machado
Destas  terras doador!
De Zé Bento, de Josino,
De Eduardo, Bernardino,
E outros vultos de valor!
V
Pouso Alegre dos colégios
De grande vultos egrégios,
Que de Minas glória são!
O teu mandu, entre outeiros,
Canta tal qual os tropeiros
Que pernoitaram em teu chão!
VI
Pouso Alegre centenária, 
O cidade legendária
Mãe de um povo varenil!
Tua história é mais brilhante, 
Que mais o rutilo diamente
Das minas do meu Brasil!
Do meu Brasil !.
* Este texto não substitui a publicação oficial.